Tribo do C.I.

Só mais um blog de informática (só que não)

GOJS: 1º Workshop de JavaScript do Grupo de Usuários JavaScript de Goiás

março 17th, 2014

Banner - Primeiro Workshop de JavaScript do Grupo de Usuários JavaScript de goiás

O Grupo de Usuários JavaScript de Goiás (GOJS) promove o primeiro Workshop de JavaScript que será realizado no sábado, dia 29 de março de 2014 a partir das 15 horas na República do Líbano, 1135  no Setor Aeroporto em Goiânia, Goiás.

No Cronograma tem assuntos como Prototype, Eventos, Sinais e Mensagens além do que vem pela frente com o ECMA Script 6 e boas práticas de Padrões de Projeto com JavaScript.

O Evento sai por R$ 12,00 pra quem pagar com PayPal ou Cartão de Crédito ou R$ 10,00 se for depósito bancário.

Fica a dica para você desenvolvedor que mora em Goiânia e Região vale muito a pena, não temos informações se o evento será transmitido ou disponibilizado de alguma outra forma pra que não poder estrá presente nessa data e horário.

Saiba mais e faça sua inscrição em: http://gojs.org/

Top 5 repositórios de código fonte grátis para o seu software

julho 31st, 2013

top-5-scm-vitrine

Se você deseja hospedar seu código fonte na nuvem e não quer desembolsar
um bom cascalho pra isso essa pode ser a solução que você procura.

Github – git O mais conhecido de todos, tem até o fonte hospedado o código fonte do GNU/Linux, pode se dizer que esse é a primeira opção que vem a cabeça quando se pensa e repositório de código fonte para projetos livre. É grátis para projetos públicos e tem planos a partir de $7.00/mês.

Google Code – subversion, mercurial e git Não é tão badalado como o Github mais é muito relevante na comunidade de projetos de Software Livre, é comum você ver em projetos caso você queira pegar a versão mais atualizada um endereço pra você fazer o update do projetos pelo SVN. Grátis para projetos públicos com até 1 giga.

BitBucket – git e mercurial Não tem limites para quantidade de repositórios privados, a sua limitação é na quantidade de desenvolvedores contribuindo no projeto, que é de 5 que é um tamanho razoável para times de software e tem planos a partir de $ 10/mês para 10 desenvolvedores, um outro destaque é a integração com o JIRA, pra você trakear os insetos do seu projeto projeto.

Assembla – subversion e git Meio Giga de código fonte e com repositórios privados grátis, para hospedar projetos de freela que não querem ser expostos essa é uma boa opção. Eu conheci no meio da “Galera do Java”, mais o código fonte do seu projeto é indiferente como em todos os outros.

Team foundation – git, source safe Assim como o BitBucket  gratuíto para até 5 desenvolvedores e provavelmente seja a escolha favorita pra quem já está inserido no ecosistema Microsoft. Aproveitando o espaço, deixo a dica do Ankh como plugin para o Visual Studio se você deseja utilizar SVN no seus projetos do Visual Studio e não quer ficar manipulando o TortoiseSVN. Eu penso que essa seja um novo passo do codeplex que é
uma forma de source forge não exclusiva mais bastante forte no mundo microsoft.

Ainda Sobre o Team Foundation eu recebi o convite para utilizar o serviço em novembro de 2012, não sei dizer se foi só comigo, mais só consegui fazer minha conta alguns meses depois.

Espero que tenha gostado da dica e não deixe mais seu código fonte sem versionamento, nem mesmo se você for um exercito de um homem só, ou mulher. Um abraço.

Links:

Protegendo GRUB com senha

agosto 23rd, 2010

Sabe aqueles cara chato que quer entrar no seu Linux por tudo? E tem alguns que apelam para as famosas fuçadas no grub colocando o 1, /bin/bash, single, etc… para entrar em modo texto e como root no seu sistema.

Os seus problemas acabaram!!! :mrgreen:

Primeiro vamos gerar a senha ( e olha só, é criptografada =D ):

grub-md5-crypt

irá aparecer mais ou menos assim:

Password:
Retype password:
$1$AzXNm$HGhasKLBvs7rSPnlIzJnv0

Digite a senha e irá gerar um código muito doido.
Guarde este código, pois esta é a sua senha criptografada.

Depois edite o arquivo /etc/grub.conf e se já estiver a linha #password –md5 é só descomentá-la (retirar o “#” da frente do nome) e colocar o código muito louco no final:

password –md5 $1$AzXNm$HGhasKLBvs7rSPnlIzJnv0

Pronto, Agora é só alegria. Ninguém mais conseguirá acessar o seu GRUB a não ser que saiba a senha, mais tome cuidado para não perdê-la. pois ai nem com macumba você consegue editar mais o GRUB na inicialização.

Agora toda vez que tentar editar o grub pedirá para digitar a tecla “P” para digitar a senha, caso esteja correta abrirá o menu de edição \o/

OBS: Caso queira colocar password no boot(carregar o sistema normalmente) adicione o password na tabela de inicialização do sistema:

<cite>           title Red Hat Linux (2.4.18-3)
                  root (hd1,2)
                  kernel /boot/vmlinuz-2.4.18-3 ro root=/dev/hdb3</cite>
<cite><strong>                  password --md5 <span style="font-size: small;"><code>$1$AzXNm$HGhasKLBvs7rSPnlIzJnv0</code></span></strong>
                  initrd /boot/initrd-2.4.18-3.img</cite>

Tribo do C.I.

Tribo do C.I.

Só mais um blog de informática (só que não)