Tribo do C.I.

Só mais um blog de informática (só que não)

Richard Stallman

fevereiro 1st, 2011


Foto de Richard Stallman


Boa parte dos comentários a respeito de Richard Stallman é pra dizer que ele é um cara mal humorado introspectivo ou mesmo muito rústico.
Olhando pelo lado bom da vida, numa filosofia Monty Python, vejamos um apanhado de curiosidades que pode mudar um pouco essa imagem um tanto quanto negativa sobre um dos nossos (o meu pelo menos) gurus mais importantes do mundo FLOSS.

Escreveu seu primeiro programa em PL/I linguagem do computador de seu primeiro emprego na IBM, teve que portar o mesmo para a Assembly depois que seu computador não suportava mais o tamanho do programa.
Tem como principais linguagens o Lisp e a Linguagem C, mais tem dedicado tempo de estudo para estudar novas linguagens como Ruby, Python e Java. Em seu site pessoal diz que está atualmente estudando um livro de Java para programadores C.

Desde criança já se mostrava engajado em questões políticas, característica que carrega até os dias de hoje, no entanto com dificuldades de se socializar, segundo relatos de sua mãe até um certo época de sua infância, conseguia se socializar como os outros garotos de sua idade, o que mudou depois de dois eventos traumáticos sendo eles a separação de seus pais e a morte de seus avós. Na escola houve época que só tinha os professores como amigo.

Adolescente controverso, ouvia música clássica quando todos ouviam rock and roll, se sentia um surdo no meio dos indivíduos  de sua idade, não entendia o porque do interesse nos assuntos que eram tratados por eles. Tirava boas notas em praticamente todas as matérias, já em inglês o mesmo não acontecia, tinha grande facilidade com biologia tanto que seus professores não se conformavam com ele trabalhar com computadores, comentando isso com um programador amigo de Stallman que ele mantinha contato por gosto em comum de séries e música.

Quando trabalhava no MIT nos laboratórios de Inteligência Artificial, fez um trabalho que virou referência na área de IA sobre “manutenção da verdade” porém um episódio com o driver da impressora da Xerox o fez pensar sobre o modelo de desenvolvimento proprietário dada a postura da empresa mediante a sugestão de melhora que ele fez. Iniciou então a escrever um conjunto de aplicativos para e um sistema operacional para serem distribuídos livres, nasce então o Projeto GNU e a Fundação do Software Livre (FSF – Free Software Foundation) em 1985 (impressionantemente no ano que eu também nasci!) pediu demissão do MIT para se dedicar integralmente ao projeto sobre o argumento de não conseguir conviver com a idéia da construção de software proprietário.

O projeto GNU tinha o intuito de criar um Sistema Operacional Livre compatível com o UNIX, assim como um conjunto de Aplicativos que o tornasse útil a fazer alguma coisa. Boa parte dos aplicativos que tornariam o sistema utilizável estava pronto, só faltava o kernel, o projeto Hurd estava meio demorado pra sair, está até hoje em construção. O motivo dessa demora é a arquitetura do mesmo, que é um tanto quanto complicada, pois utiliza um micro-kernel, e o restante com módulos que se comunicam através de mensagens. Isso traz uma flexibilidade impressionante, tanto que não seria necessário reiniciar o Sistema nem mesmo ao atualizar o kernel, porém é bastante complicado de se trabalhar.

Em meados de 1991 Linus Torvalds veio com a peça que falta para se ter um Sistema GNU completo, o Linux, com um arquitetura simples, ou seja monolítico, e utilizando tudo com o que já tinha pronto do projeto GNU. Por isso que defende-se fazer referência ao GNU/Linux e não somente Linux, de forma que o Linux é só o Kernel (“Kernel do Linux” é pleonasmo) e sozinho não teria nenhuma utilidade. Pode não ser com arquitetura mais moderna que existia,  mas que quebrou um galhão diz aí.

A arquitetura de Sistemas Operacionais com Micro-Kernel ou kernel monolítico foi assunto  de uma discussão calorosa  entre o criador do Minix Andrew Tanenbaum e Linus na lista de discussão de usuários do Minix Sistema em que o Linux foi baseado, os bastidores da criação do Linux incluindo essa discussão é relatado por Linus no Livro “Linux Só por Prazer” veja nas referências no final do post.

A julgar pelas referências acredito que de fato RMS não seja tão amistoso como Mad Dog e outras figuras do mundo FLOSS, no entanto acho que o que acontece é que ele assim como outros grandes nomes na história, pagam um preço muito alto por viver a sua ideologia, ponto que até me identifico com ele.

Como nunca o encontrei pessoalmente não posso tirar minhas próprias conclusões e nem sei o que eu conversaria com ele, sobre IA de repente ou então sobre o emacs e LISP que acabaria no mesmo assunto a IA, acho que seria interessante falar da arquitetura do GNU/Hurd também.

Não sou xiita ao ponto de dizer que tudo que ele diz ou mesmo o que ele fez é o melhor, como sabiamente disse Mad Dog ao ser perguntado sobre qual a melhor distribuição GNU/Linux, respondeu que seria a que melhor resolveria o seu problema, complementando, posso dizer que isso vale para qualquer ferramenta. Esse texto por exemplo foi redigido utilizando o VIM embora eu esteja estudando emacs, ainda não me sinto confortável para utiliza-lo, outro exemplo é o Netbeans e o Eclipse passo boa parte do tempo com os dois abertos.

Referências:

Podcast

Vídeo

Texto

Livro

Software livre ajudando o país

julho 5th, 2010

Pois é, pra galera que acha que o software livre é só pegar o código dar uma lidinha, modificar, redistribuir, etc. Está enganado, existem várias instituições e projetos tanto de meros civis quanto do governo que usam os conceitos do software livre para se darem bem e ajudar os outros.

Estava fuçando na internet e resolvi falar sobre este assunto que me despertou o interesse de resumir para vocês:

Como todo mundo sabe o Presidente LULA, foi um dos maiores incentivadores do software livre no Brasil, com isso possibilitou e facilitou a muitas empresas a se expandirem, e não só às empresas ajudou as comunidades a se desenvolverem com projetos culturais, educacionais, etc. ( com o software livre, ou com o seu conceito ).

Quem não sabe de nada disso, dêem uma olhada nesse vídeo, em que o lula falou sobre o software livre no FISL10:

Com o governo lula ele expandiu a inclusão digital como nenhum outro, incentivou milhares de cidadãos e empresas a migrarem para o software livre fazendo com que o Brasil ficasse independente cada vez mais de empresas privadas e de outros países, arrecadando mais fundos para o governo, para gastar com coisas mais importantes como saúde, educação, cultura, etc (ou, pra quem é mais russo, pra desviar mais verba para os paraísos fiscais hehehe). E foi o que ele fez. Siga abaixo alguns projetos que achei na internet que são inclusive patrocinados pelo governo federal: ( nem todos )

Musica para baixar: O Movimento Música para Baixar – MPB é uma inciativa para conectar diversas áreas relacionadas como: música, arte tecnologia e comunicação colaborativa e espalhar suas propostas para o âmbito de diversos territórios, levando suas propostas para o maior numero de pessoas, extrapolando as fronteiras de um determinado gênero musical. […]

Tangolomango: O projeto é focado na articulação de projetos inovadores e bem sucedidos que se destacam no cenário cultural nacional por sua liberdade criativa, de acesso, diálogo e transformação e sua integração com as novas experiências que estão sendo criadas.[…]

Solivrex: Este evento foi idealizado por um grupo de pessoas interessadas em distribuir democraticamente a tecnologia livre em prol do amadurecimento tecnológico de nosso país. Sem fins lucrativos, o evento tem por objetivo principal, divulgar projetos de software livre desenvolvidos por diversos profissionais, para a comunidade acadêmica e empresários em geral.[…]

Overmundo: O Overmundo é feito pela sua própria comunidade.
Aqui, você pode encontrar textos, dicas e obras que apontam para um vasto panorama da diversidade cultural do Brasil. E o melhor: você pode não apenas ler, mas participar das discussões, selecionar os destaques do site e principalmente publicar os seus próprios conteúdos.[…]

Livro Livre: A idéia por trás do Livro Livre é que os livros não possuem donos, e são na verdade um patrimônio cultural da humanidade. Por isso, devem ser continuamente transferidos para as mãos de novos leitores ao invés de serem esquecidos em estantes e prateleiras, acumulando poeira e relegados à mera condição de objetos decorativos ou itens de coleção. É como se o mundo todo fosse uma grande biblioteca.[…]

pQui Linux: O pQui Linux é um sistema operacional GNU/Linux baseado no Slackware voltado para desktops e usuários leigos que pensam que Linux é difícil, tendo como principal objetivo estimular a migração Windows/Linux em desktops caseiros e empresariais. […]

É obvio que existem muitos outros projetos livres, Como o Projeto do Carro Opensource da FIAT, porém não vamos listar todos porque, em primeiro lugar não conhecemos todos, em segundo lugar o post ficaria muito longo e em terceiro lugar se vira e vai atras daquilo que você gosta!

Hehe, é só isso, valeu, para mais informações Clique aqui !

Tribo do C.I.

Tribo do C.I.

Só mais um blog de informática (só que não)