Tribo do C.I.

Só mais um blog de informática (só que não)

Google deixa MySQL e adota o MariaDB

setembro 16th, 2013

MariaDB e MySQL LogoPor vingança ou não, essa migração em massa definitivamente terá um impacto negativo no Banco de Dados relacional da Oracle.

A Primeira Lei da termodinâmica é bem simples, a energia não pode ser destruída, mais sim transformada de uma forma para outra. E no mundo dos negócios essa lei também se aplica: uma empresa que vacila pode ter o troco algum dia.

O que nunca será o motivo oficial pelo qual o mecanismo de busca do Google está migrando todo sistema no banco de dados relacional da Oracle para o MariaDB fork do MySQL, no entanto o efeito colateral contra a Oracle são óbvias.

Afinal de contas a Oracle gastou muito tempo em ações legais nos últimos anos contra a Oracle alegando quebra de Diretos Autorais em partes do código Java no Sistema Operacional da Google o Android. Incluindo 37 APIs na linguagem de Programação Java. O casos foram todos jugados a favor do Google, mais ainda continua em apelação e o Google aparentemente é difícil de esquecer.

A revelação que o Google está migrando do MySQL para o MariaDB veio do Engenheiro Senior do Google Jeremy Cole em apresetação na conferência Extremely Large Database da Universidade de Stanford na semana passada.

De acordo com o The Register, Jeremy Cole revelou durante a apresentação que o Google está trabalhando com a fundação MariaDB para atualizar com patchs ( remendos) o MariaDB 10.0 para que ele esteja pronto para migração de centenas de instancias do MySQL para o MariaDB.

“No momento estamos rodando principalmente no (MySQL) 5.1 que é um pouco desatualizado e então mudaremos para o MariaDB 10.0”, disse Jeremy…

O Google depois confirma em nota o plano de migração para o The Register.

O time de MySQL da Google está em processo de mover os usuários internos do MySQL no Google do MysQL 5.1 para MariaDB 10.0. O time de MySQL da Google e o Time SkySQL MariaDB olha a frente para trabalhar junto e avançar com a confiabilidade e os recursos do MariaDB.

Aparentemente os movimentos para a migração começou no início do ano, vestígios de que isso estava acontecendo só apareceram nos últimos 2 meses, quando o Google delegou um engenheiro para trabalhar integralmente para a fundação MariaDB.

Na época desse movimento, as especulações focavam no Google estava tentando fortalecer o MariaDB com o objetivo de manter a diversidade com o comunidade do MySQL ainda viva. Desde que a Oracle tomou o controle do Banco de Dados MySQL em 2010 quando comprou a Sun Microsystems, a comunidade do Banco de dados MyQL tem reclamado que a Oracle tem colocado algum trabalho técnico para para o banco de dados open-source, mais tem deixado poucas contribuições de fora da Oracle entrar no código base do MySQL.

Esses usuários frustrados do MySQL que desejam ver essas mudanças colocada na linha de frente do desenvolvimento do MySQL (conhecido como o “trunk”) bem como todas as mudanças técnicas dentro do MySQL dependentes dos caprichos da Oracle.

Tópicos na apresentação de Jeremy expõe a sua ( e aparentemente também a do Google) posição em relação ao Oracle MySQL:

Continua a fazer um bom desenvolvimento, no entanto sem muita visibilidade pública até o lançamento.

Bugs ignorados, feedback, comunicação com a comunidade. 

Essa falta de participação da comunidade em grande parte é devido o criador do MySQL Monty Widenius ter feito um fork o projeto MariaDB se distanciando do MySQL: para dar aos usuários do MySQL uma versão do banco de dados onde muitos podem contribuir.

Segundo Jeremy, o Google irá migrar especificamente para um branch interno do MariaDB 10.0, em que incorpora algumas mudanças específicas do Google, que equivalente ao MySQL 5.6. Esse não é de fato um fork, embora, ainda continuará mantendo o relacionamento de compartilhamento de código com o trunk do MariaDB. Jeremy contou a platéia que o Google agindo dessa forma ainda mantém o controle absoluto do desenvolvimento do branch do MariaDB.

Todos esses são perfeitamente motivos válidos para o Google se distanciar do MySQL em que se vê um claro declínio de toda base de usuários desde que o Oracle tomou de conta do projeto.

Embora seja fácil de sugerir que essa migração em massa do MySQL para o MariaDB é algum tipo de troco para Oracle, a verdade provavelmente está no tratamento da Oracle com a comunidade MySQL – A Oracle tem construído a sua cama de espinhos com a comunidade do MySQL e agora tem que deitar nela. Essa migração em massa de centenas de servidores MySQL vai fazer com que futuro e atuais clientes do MySQL de uma boa olhada em alternativas como o MariaDB.

Fonte: ReadWrite, via The Code Project

 

Inscrições Abertas para o Join Community Segunda Edição

agosto 11th, 2013

Join Community Event Vitrine

Os grupos GoJava, DevGoiás, GoPHP, GDG e GruPy-GO irão se reunir novamente no próximo dia 31 de agosto para abusar do conhecimento e trocar boas experiências! Anunciamos a 2ª EDIÇÃO do Join Community, que nesta segunda edição traz bons assuntos relacionados ao desenvolvimento de software com dois temas principais: Web UI (Interfaces e muito JavaScript) e Pensando fora da caixa (onde você pode conhecer aquilo que já faz mas de uma forma diferente).

A Tribo do C.I. recomenda fortemente não apenas por ter um integrante palestrando mais também por achar que é um ótima oportunidade de conhecer pessoas e aprender muito na troca de experiências.

Embora seja um evento organizado por comunidades de Tecnologia de Goiás já estão confirmadas palestras com Profissionais que são referência em todos o país, isso não também não significa que os profissionais de Goiás também não sejam referência 😎 .

Links:

Netbeans: Versão 7.4 Beta com suporte para Android, iOS e ExtJS

julho 15th, 2013

Mashup netbeans e as tecnologias suportadas

Já está disponível para download o beta da Versão 7.4 do Netbeans com um pacotão de novidades e melhorias como ao suporte ao HTML5 que já veio com força na versão 7.3 porém agora integrado ao Phonegap e suporte para frameworks JavaScript como ExtJS, AngularJS e Knockout, além de suporte ao Java 1.8, ZendFrameork 2.

Lembro da  versão 7.3 ainda está em beta quando o Netbeans lançou um pesquisa para os desenvolvedores perguntando qual framework javascript eles gostariam que fossem suportadas oficialmente pela IDE, a comunidade ExtJS mundial se mobilizou e agora vemos aí o resultado, sou beta teste do plugin para Eclipse que vem no Sencha Complete e estou ancioso para testar esse suporte também no Netbeans, pois eu usava o editor genérico do JavaScript e eu já achava muito bom.

Os recursos novos são uma inúmeros, na verdade não, ou melhor, só que não, eu estou tão confuso quanto empolgado, o que eu quero dizer é que tudo o que esperar da versão final do Netbeans 7.4 está bem documentado, e você pode conferir lá também outros recursos, só destaquei o que tem sido bem comum na minha caixa de ferramentas. Era comum em fóruns pessoas perguntarem qual a melhor IDE para trabalhar com esses novos frameworks java scripts suportados e a resposta padrão era que “Infelizmente não é suportado nativamente por nenhuma das IDEs mais conhecidas”, ao não ser por ferramentas como o Sencha Architect ou editores como o TextMate ou  Sublime com bundles.

E se você assim como eu deseja ser um beta tester desses recursos, pode baixar direto do site oficial.

Links:

Tribo do C.I.

Tribo do C.I.

Só mais um blog de informática (só que não)