Elon Musk anuncia no Twitter que o algoritmo de recomendação do microblog agora é OpenSource

O código fonte bem como uma boa documentação de como funciona o algoritmo de recomendação do twitter agora está disponível no GitHub, Elson Musk usou a rede social para fazer o anuncio como havia prometido ` desde que comprou a empresa.

Em uma live Elon discutiu com os seguidores sobre o OpenSource Spaces e as pessoas que participaram utilizaram o espaços para fazer várias perguntas, incluindo sobre a monetização dos criadores de conteúdo.

Elon também comentou que com o Código Fonte aberto a comunidade poderia participar sugerindo soluções pra possíveis problemas bem como melhorias para a ferramenta.

No blog da engenharia do twitter uma postagem bem completa o time de explica as 3 etapas para escolha de quais tweets mostrarem nas recomendações que em suma é a escolha da fonte, ranqueamento e por fim a aplicação de heurísticas e filtros em que remove tweets de usuários bloqueados, ou que já foram vistos e até mesmo os que possuam algum conteúdo ofensivo.

Fabio Akita fez um vídeo com uma análise técnica e bem aprofundada na medida do possível do código que foi liberado (por curiosidade coloquei a postagem para impressão do script do vídeo e foram mais de 50 páginas impressas), inclusive ressaltando que é apenas uma parte foi liberado mas que também é bem provável que seja o código real, pelo volume de código seria contra produtivo ter sido um código forjado. No vídeo também tem uma timeline interessante sobre as três gerações dos algoritmos de recomendações da funcionalidade “Quem Seguir” e das postagens sugeridas na aba “Pra você”.

Desbloqueando o “Algoritmo” do Twitter – Introdução a Grafos

Links:

E-book Grátis: OpenSource no Brasil

Livro: OpenSource no Brasil

Que a Tribo dos Circuitos Integrados é assim com o OpenSource, num é segredo pra ninguém, né? Pois bem.

Apesar de seus problemas—a corrupção no governo, os problemas na saúde pública e as altas taxas de criminalidade—o Brasil ainda é uma das economias mais vibrantes da América Latina. Com suas fortes indústrias de extração, de produção e de serviços, a TI no Brasil está em expansão, à medida que as empresas buscam digitalizar suas operações. As startups de tecnologia também estão surgindo, e o software livre e o open source estão por toda parte.

Nesse relatório, seu autor, Andy Oram, explora as várias tendências nos negócios, no ensino e nas políticas públicas que contribuíram para o estado atual da atividade open source no Brasil. Você vai descobrir a comunidade open source no país, seus movimentos de software livre, o envolvimento dos negócios e da força de trabalho, e as questões relativas à educação.

Saiba mais e baixe o seu exemplar em http://www.oreilly.com/programming/free/open-source-no-brasil.csp

Sencha: ExtJS 6 Beta Lançado

extjs6-beta-vitrine

“One framework to rule them all devices

Megalomania a parte o framework unificado (sencha touch e ExtJS desktopé uma das principais novidades da nova versão 6 do Framework JavaScript da Sencha o ExtJS, outros destaques que podem ser citados é o Sencha Pivot Grid que é um add-on para criar ferramentas analíticas e o Sencha JetBrains Plugins que deixará o desenvolvimento mais produtivo seguindo a tendência “Mudial” de abandonar o eclipse :'(, ou melhor, tentando ser menos polarizado e guardar o meu recalque de ter sido beta tester do plugin para eclipse … seguindo a tendência de empresas como o google que adotou o Android Studio (IntelliJ IDEA like)  como IDE oficial em detrimento ao plugin do eclipse, e agora heim? Ficou super isento não é verdade!?

Já tínhamos alguns sinais de que o frameworks iriam ser unificados em algum momento, sinais esses como:

  • A influência que o Sencha Touch no Arquitetura do ExtJS 4
  • As novidades que apareceram no lançamento do ExtJS 5 como características responsivas e temas otimizados para dispositivos de toque.
  • e também um breve desaquecimento das novidades do Sencha Touch depois da versão 2.3

Sendo assim é o que a comunidade de desenvolvedores Sencha Touch e ou ExtJS esperava como uma evolução natural da ferramenta e mesmo sabendo que são focos diferentes veio bem a calhar em um ambiente pós apocalíptico do mobilegeddon.

Eu tinha solicitado o acesso antecipado antes de sair o beta público e com os testes que fiz o framework me deixou realmente empolgado com essa nova versão, é claro que por se tratar de uma versão beta deve ser utilizada com moderação, sendo assim muita calma nessa hora e pense muitas vezes antes de usa-lo em seu ambiente de produção.

A listagem das demais melhorias e onde fazer o download da nova versão podem ser encontradas no link que segue:

Links