Tribo do C.I.

Só mais um blog de informática (só que não)

Front in BH 2014: Eu Fui!!!

julho 29th, 2014

Resumo Frontin BH

Obs: este artigo pode ser lido em inglês em: https://medium.com/@sheldonled/frontin-bh-2014-66b5a1178b28

Já tem um certo tempo que estou focando meus estudos em tecnologias front-end, e nada melhor que eventos/conferências/workshops/etc para nos manter atualizados. Quase não estou saindo da terra do pequi para me aventurar em eventos, e percebo que estou fazendo uma média de 1 evento por ano.

Em 2013 fui ao TDC SP (trilha de UX/Front-end), e aprendi muita coisa legal. Pude levar minha esposa, e pude rever meu amigo e sócio deste blog, Relson. Esse ano foi a vez de ir para Belo Horizonte, prestigiar o magnífico FrontinBH. Foi a primeira vez que eu e minha amada fomos para BH, e deu pra curtir bastante esse fim de semana.

Planejamento ft. Ansiedade

Confirmei minha ida aproximadamente um mês antes do evento, porém só na sexta-feira que antecedeu o evento pude confirmar como e com quem eu iria. Convidei alguns amigos para ir ao evento, verifiquei a possibilidade de ir com alguns parentes, mas no fim fomos minha esposa e eu.

Chegamos em BH poucos minutos antes do evento, e ela ficou comigo no início, depois eu a levei ao hotel para descansar enquanto eu enfrentava chuva e a demora do metrô para chegar novamente ao Teatro Ney Soares e perder o início da palestra sobre TrackingJS. Fiquei um pouco perdido na cidade no começo do dia mas após umas caminhadas e com ajuda do GPS eu consegui ir e vir mais tranquilamente.

O Evento

Fiquei admirado com o evento. Ao mesmo tempo que eu estava em um auditório lotado, com centenas de pessoas que eu não conhecia, eu me vi ao lado de grandes mentes, pessoas que estão puxando a web pra frente ‘trocadilho alerts’, pude trocar idéias com pessoas que eu costumava ver no youtube, e tudo isso contribuiu bastante para minha experiência.

O evento nos deixou momentos alegres, como os momentos: “Livraria” e “Oxenti”, e o autor do primeiro pode me dar dicas bem legais sobre o mercado internacional e como treinar Inglês sozinho 🙂 Ele (Michael Lancaster) foi responsável por apresentar à platéia o Node Webkit, uma plataforma de desenvolvimento nativo usando tecnologias conhecidas por nós web developers.

A abertura do evento foi feita pelo incrível Bernard De Luna, uma pessoa já conhecida pelos seus projetos sexys, e a primeira palestra foi sobre frameworks de testes de UI, dos quais, os que mais me chamaram atenção foram: Jasmine, Qunit, Mocha, Buster e Karma. Outra palestra interessantíssima foi a dos caras da RC Comunicação sobre o workflow de desenvolvimento web (Design ?Implementação). Nessa palestra, destacou-se o poder do Webflow.

Como eu disse acima, perdi algumas palestras, pois fui almoçar próximo ao hotel, fazer check-in e guardar minhas coisas. Cheguei no meio da palestra sobre TrackingJS, um framework incrível que possibilita reconhecimento de cor, de face e outras. Perguntei ao Zeno Rocha, na hora do lanche, se eles começaram a desenvolver isso com algum objetivo em mente, e ele me respondeu: “Não, e isso nem tem nada a ver com o nosso trabalho (na Liferay). A gente teve a ideia e começou a fazer”.

Falando em lanche, estava tudo muito bom 😀 e eu pude conhecer pessoalmente, como citei acima, caras que eu só via nas redes sociais. Conversei um pouco com Yamil Asusta, que palestrou sobre o incrível Browserify, uma ferramenta que permite trazer modulos do npm para o browser. Conversei também com o Felquis, sobre várias coisas, principalmente sobre meet ups e workshops.

No final da tarde tivemos as meninas do Github, falando sobre o poder dos Polyfills e o Mathias Bynens falando sobre Unicode no JavaScript. Dentre outras coisas que tiveram no evento e eu não citei aqui, só gostaria de terminar esse post com o principal conselho que ouvi no evento: “Agarre os desafios, só assim você vai crescer”.

Ansioso para o FrontinBH 2015 =)

Campus Party – Segunda Feira

janeiro 18th, 2011

Segunda Feira (17) foi o primeiro dia da Campus Party. Não teve muita coisa em termos de palestra. Mas já a partir das 12h a internet de 10 Gbps foi ligada e começaram-se toda  a movimentação. A animação é geral e os Gritos (Uoooou) animam e integram a galera.

Eu (Sheldon Led) já até falei sobre como seria minha viagem (No meu Blog Pessoal – Viagem estilo Hobbit rumo à São Paulo), onde disse que sairia de Goiânia até Uberlândia, econtraria com a Caravana, e de lá partiria para São Paulo! Houveram várias complicações, e quando chegamos na #Cpbr4 já eram cerca de 11h, para quem saiu de Goiânia as 14h do dia anterior, é muito tempo, quase 24h de viagem. Chegando aqui esperamos cerca de 7 horas na fila, para conseguir entrar, pegar a credencial, pegar a mochila, pegar outros brindes, achar a barraca, acomodar-se e então curtir o evento.

A noite foi legal, teve a Contagem Regressiva para o verdadeiro início da Campus Party. E logo em seguida teve show dos Semi Novos, cujo trecho você pode ver abaixo:

Logo após o término do show a galera esfriou um pouco, pois TODO MUNDO CANSOU com as horas e horas de filas e espera na porta da cpbr, e a maioria foi dormir. Esse evento está só começando, e promete bastante!!!

Entre os destaques dessa edição, está a participação do ex-vice-presidente dos Estados Unidos, Al Gore, que falará amanhã (18), às 13h, sobre a abrangência acadêmica e comercial da internet. No mesmo painel, também estará Tim-Berners Lee, considerado o pai e criador da WorldWideWeb, ao idealizar um projeto global que permitisse que pessoas trabalhassem em conjunto. Além deles, o diretor gerente da Wikimedia Foundation, Kul Wadhwa, também estará na Campus Party, assim como o co-fundador da Apple, Steve Wozniak, que fechará o evento no sábado (22) às 19h.